Respeite a arte! Ao reproduzir em outros lugares a obra de algum artista, cite o autor. Todas as poesias aqui presentes foram escritas por Mao Punk.

Visite também meu blog de textos: RESQUÍCIOS DEPRESSIVOS, SUJOS E NOJENTOS .
Textos que expõem a fragilidade e indecência humanas de forma irônica, metafórica e sem embelezamentos.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

É JANEIRO, CAROLINA!

Passam anos, vê, são outras cores,
Outras tantas dores já vividas!
Tantas outras poesias lidas,
Tantos fins doutros tantos amores.

Passam anos, vê, meses inteiros,
Estações passaram, não retornam.
Emoções de dias que se foram
E em mim um eterno janeiro!

E ao passar, assim, a vida breve,
Meu desejo é que o tempo leve
Tudo aquilo que puder levar.

Mas há algo que não passa, segue,
E findar o tempo não consegue.
Nossos lábios voltam a se tocar.

domingo, 25 de dezembro de 2011

VERSOS SIMPLES PARA CRIMES COMETIDOS

Teus olhos culpados
Atentaram
Contra os meus.

Meus lábios,
Larápios,
Roubaram os teus.

Assim,
Criminosos,
Aconselharei:

Matemos desejos
Em beijos
Sem lei.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

VERSOS PARA DESPEDIDA

Preciso de um soneto que me surja vivo,
Um riso, um qualquer quê a me beijar o rosto,
Um doce, um acre, um misto que me seja gosto
De algo que me falta e que se faz esquivo.

Preciso que o poema aqui se manifeste
E grite! E silencie o vão que deixa mudo
E vista de mil cores o que está desnudo
E possa me despir da angústia que me veste.

Preciso que a espontânea vida em que me vejo
Conceda em cada tempo o tanto de ensejo
Que se faz necessário para a alegria.

Preciso respirar os versos que escrevo
E quando acabar meu ar, eis meu desejo:
Poder partir em paz, morrer de poesia.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

DO VERSO

Queria escrever um verso,
Como se o verso
Fosse assim criado.

No entanto sabe o bom poeta
Que quem faz o verso
Nem mesmo é letrado.

O verso que a gente conhece,
Quando aparece,
Não vem do poeta,

Mas sim da vida arteira
Escrevendo torto
Sobre linha reta.

sábado, 17 de dezembro de 2011

SONETO EXAGERADO

Todo este azul que vem do firmamento
Acinzentou? E o Sol? Nem mesmo a Lua
Que quando nova mostra-se obscura
Faz breu maior que o Sol que agora enfrento.

E sobre as cores? Foram-se com o vento?
As flores deste agora estão impuras
A carregar um tanto de tortura!
Ou meu olhar que anda em desalento?

Então me afogo em tanto contratempo
Sem suportar o vão deste lamento,
Sem entender razão que me amargura.

É quando noto que meu pensamento
De lhe perder de vista um só momento
Me faz entregue a esta desventura.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

POEMA DE DOIS SEGUNDOS

Logo passa,
Como tudo passa.
E passou
Por dois segundos...

U...
Carros fecham o trânsito, dezenas de nuvens passeiam imperceptíveis,
O Sol se destaca, alguém está satisfeito por qualquer bobagem,
Não havia reparado como um segundo dura tanto!
O sorvete derrete na mão da criança. “Mãe! Pai! Outro!”, pensa (asas)...

     ...M,
Crianças trabalham na China, morrem cem pessoas em um desastre,
A cada fração de segundo algo surpreendente acontece no mundo,
Algumas dezenas de árvores – ainda que em pouca quantidade –
Germinam, florescem! Há mil litros de pranto e mil quilos de risos (asas)...

               D...
Uma pessoa dorme em uma cama macia e forrada,
O viaduto de lá parece um hotel, há quem dormiu para sempre,
De um lado da Terra, no alto, há constelações,
Em algum canto chove no final da tarde. Alguém dança (asas)...

                         ...O...
Pessoas desistem da vida, outras pensam em desistir,
Muitas desistem da ideia, poucos sabem realmente viver.
Talvez porque se desaprenda quando se completa doze anos.
Mas agora é novo ano! Novos aprendizes nascem (asas)...

                                             ...I...
Milhões de corações pulsam em fúria, insaciáveis,
Nada pode os pa...ram corações. Silêncio...
... Folia em uma rua interditada, folia em um motel,
Acalanto em um recanto distante de lá e daqui (asas)...

                                                              ...S!

Logo passa,
Como tudo passa.
E passou.
Um pardal me fez sorrir.

T...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Olá,leitorxs! Mais uma vez quero compartilhar um novo sorriso com vocês!

Há tempos atrás participei do concurso de poesias para o Prêmio FEUC de Literatura 2011, organizado pela Fundação Educacional Unificada Campograndense.

Para minha surpresa fiquei em 3º lugar na categoria Âmbito Nacional!

A poesia contemplada foi a seguinte:

MEU SONETO AGRADECIDO

Mais uma vez, agradeço a quem ajuda minha expressão se expandir através dos olhos!

Beijos para tod@s!

domingo, 4 de dezembro de 2011

INTENÇÃO

Não sei bem o que intento,
Mas tentar
É meu sustento.